)Sarau(

o que não está escrito / poema de Azor Osório Neto Contrin; novos poetas brasileiros;

Azor Osório Neto Contrin

 

 

 

 

 

 

VII

Em lugar nenhum,

Em que não estou,

Em que não falo,

Que não penso,

Que ninguém me pensa,

Que ninguém me fala,

Que ninguém me sabe...

Eu apenas não existo.

Mas eu sei

Que essa inexistência

Está acontecendo agora

E é tão real,

Como existir o é.

 

XVIII

 

Há quem acredite que é mais real

Do que o irreal

Por que é de carne e osso.

Mas assim como o real não é o irreal,

Carne e osso não é o real

Pois carne e osso são senão e unicamente

Osso e carne.

Posto que osso e carne sejam exclusivamente

Carne e osso

Reparem

Como não há carne na carne dessa sentença

E como no osso da palavra osso

Não há osso algum.

Tudo o que é de verdade

Na verdade não é de verdade

É só, apenas e somente

De linguagem.

 

XXI

 

Presta atenção,

No que os olhos não veem,

Os ouvidos não escutam,

O que a boca não diz,

E o tato não sente...

Repara bem

O que não está escrito.

 

XXVI

 

Hoje eu tenho estado muito Ontem.

Constato que sinto

Com os sentidos de hoje

As sensações do mundo de Ontem.

- Um seixo de areia numa praia deserta em que não piso

Vai deslocando-se com o vento sobre as dunas cientificamente existentes

Na superfície de um planeta Terra de vinte quatro horas atrás. -

Que me importa o seixo dantes?

Os olhos não ouvem

O que o coração não toca!

Que me importa

Que o mundo continue sendo mundo

Sem ser o mesmo mundo de ontem?

Sigo Hoje!

Mesmo estando Ontem...

E Hoje é uma tarde real

Como será irredutivelmente real

Daqui a três passos mais tarde;

Mas daqui a seis passos

Os meus três primeiros passos

Já serão tarde de mais.

Este é o jeito continuo da vida

De ser tão tarde de mais;

Tão tarde de mais para sempre demais...

E isto é a temperatura das coisas

Que já não existem por toda eternidade:

O gosto do café de Ontem...

O sabor do beijo da mulher de Outrora...

A cantiga de ninar os filhos de um dia Outrem...

 

XXXIV

 

A poesia não serve pra Nada.

E a gente faz o que quiser

Com o que não serve pra nada...

Inclusive Tudo.

 

 

<>_<>

ILUSTRAÇÕES DE gutierrez, vanessa lira, thaís alberti, stênio santos e joão thiago 

<>_<>

 

 

AZOR OSÓRIO NETO CONTRIN nasceu em 20 de agosto de 1968 na cidade de Palmital, São Paulo. Em 1988 entrou no curso de filosofia pela atual Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), onde o concluiu em 1993. Em sua poética, Azor sofre influências filosóficas principalmente de Sartre e Heidegger. Reúne seus escritos em O manifesto inexistente, livro publicado de forma independente e onde manifesta sua elegia à inexistência. Nunca exerceu profissão na área em que se formou. É poeta e dono de uma tabacaria.

 

<>_<>

 

GUTIERREZ — nascido em São Paulo, é mineiro por opção; vive entre Ribeirão Preto, Uberaba e São Paulo. Arquiteto por formação, é professor por vocação. Desenha porque se pretende escultor.

 

 

<>_<>

 

 

VANESSA LIRA é artista plástica e professora de artes. Utiliza a fotografia e o desenho como linguagens de expressão e adora chacoalhar as mentes brilhantes dos adolescentes que frequentam suas aulas. É mãe de Theo, com quase cinco anos, que lhe inspira o registro de historinhas da visão de uma criança para o mundo; e é companheira do Anderson há dez anos. Facebook: Vanessa Lira

 

 

<>_<>

 

 

THAÍS ALBERTI nasceu em 1994, em Ribeirão Preto. A filha perdida do Neil Gaiman. Estudante de Letras por ter encontrado Oscar Wilde na adolescência; faz uns rabiscos, que chama de ilustração, nas horas vagas. Mais perdida na estrada do que Kerouac. Facebook: Thais Alberti. Blog: http://www.palavreie.com.br/

 

 

<>_<>

 

 

STÊNIO SANTOS nasceu em São Joaquim da Barra, interior de São Paulo. Desenha desde que se conhece por gente. Ainda não é formado em Design, mas pretende ganhar a vida com isso. Gosta de quadrinhos (principalmente os escritos pelos autores Alan Moore e Neil Gaiman) e mangás, de filmes e de literatura. Facebook: Stênio Santos.

 

<>_<>

 

JOÃO THIAGO é fotógrafo, professor de informática e de artes visuais e, agora, ilustrador no TERTÚLIA. Mais sobre ele em www.joaothiago.com. No Facebook:João Tiago.

 

 

 

  • 01 Long Old Life

  • 02 This Is the Day

  • 03 The Chimes at Midnight

10/05/2015