)Música(

Toca R.A.U.L. /

Alexandre Dantas

Krig-Ha, Bandolo! - grito de guerra do Tarzan ("Cuidado: aí vem o inimigo!") - foi a primeira incursão solo de Raul Seixas em disco. Antes, o roqueiro baiano havia gravado, em 1968, o lp Raulzito e Os Panteras, e, em 1971, aproveitando uma viagem do presidente de sua gravadora, a CBS, gravou o lp Sociedade da Grã-Ordem Kavernista apresenta Sessão das Dez, ao lado de Sérgio Sampaio, Miriam Batucada e Edy Star, o que lhe valeu a expulsão da CBS.

Krig-Ha, Bandolo! nasceu clássico.

Ali está contido o supra-sumo do rock "Rauliano". O disco abre com uma pequena introdução, na verdade uma gravação de Raul Seixas, aos nove anos, cantando trechos de rockabillys clássicos. A primeira canção do disco é "Mosca na Sopa" - uma das canções preferidas de Raul-, já apontando o misto de guitarras e elementos da música nordestina, que embasaria boa parte de sua discografia. A letra, um recado escrachado, deixava claro qual seria sua intenção: a de ir na contramão, fugir da mesmice, enfrentar, contestar, coisa que ele soube fazer como ninguém com suas canções.

Na seqüência, uma das mais emblemáticas canções de Raul: "Metamorfose Ambulante", que reforçava o que havia começado a expor na canção anterior, escancarando a todos que, sem dúvida alguma, Raul Seixas não era um sujeito óbvio e preciso, mas alguém que se encontrava em constante estado de mutação, principalmente no que se referia à música. A terceira canção do álbum é "Dentadura Postiça" - uma das minhas preferidas -, um delicioso e descompromissado country rock. Em seguida vêm "As Minas do Rei Salomão", outro delicioso country rock, "A Hora do Trem Passar", uma balada de menos de dois minutos, "Al Capone" - rock'n'roll em estado puro! -, "How Coud I Know", outra belíssima balada cantada em inglês e costurada por um emocionante piano.

Além de tudo isso, ainda há mais três sensacionais canções, que fecham o álbum. "Rockixe", que com sua introdução matadora e o naipe de metais nos mostra como é que se faz rock, "Cachorro Urubu", um folk rock de primeira, com uma letra bem legal, e para fechar "Ouro de Tolo", a ácida crítica consumista à classe média-alta; é uma faixa que, embora escrita no começo dos anos 70, cai como uma luva nessa época de globalização/neoliberalismo, demonstrando que vale trabalhar, competir, consumir.

Enfim, não há muito o que se escrever sobre essa obra-prima do rock nacional e nem mesmo sobre Raul Seixas, o maior rocker brasileiro. O que nos resta é o álbum. Boa audição!

<>_<>

Ilustração de HELTON SOUTO

<>_<>

ALEXANDRE DANTAS é pai do João e do Pedro, apaixonado por música (especialmente rock), palmeirense, sociólogo e professor universitário.

HELTON SOUTO nasceu em 76. Ribeirão Preto. Casado. Desenha e pinta desde sempre. Graduou-se em Ciências Sociais. Foi arte-educador. Foi professor de História. Trabalha em ONG, com educação e juventude. E não parou de desenhar e pintar. Blog: Andar na pedra. Contato (Facebook): Helton Souto.

  • Raul Seixas - 1973 - Krig-ha Bandolo - 02 - Mosca Na Sopa

  • Raul Seixas - 1973 - Krig-ha Bandolo - 03 - Metamorfose Ambulante

03/08/2014