)Blog(

20º Arrondissement: Père-Lachaise / 20º arrondissement, Quem está dormindo profundamente no cemitério mais famoso do mundo

André Carretoni

Paris é dividida em vinte arrondissements, que se enrolam como um Escargot da Île de la Cité até o Père-Lachaise, do lugar onde os ossos mais antigos desta região foram encontrados, o berço de Paris, até a última morada de vários personagens da história mundial, ou apenas francesa.

Quero convidá-los a uma viagem por esses bairros, numa contagem decrescente; sem a pretensão de possuir informações inéditas, mas com o intuito de falar sobre os lugares que mais me têm atraído aqui e, com isso, desenvolver certas ideias.

Mas falemos um pouco mais do todo antes de esmiuçarmos.

A cidade de Deauville é conhecida como o vigésimo primeiro arrondissement de Paris, por ser o destino de fim de semana de muitos parisienses. Fica a cem quilômetros da capital e possui praias maravilhosas, apesar de suas águas frias (veja mapa ao lado).

Paris é também dividida em duas margens: a Rive Gauche, margem sul do rio Sena, e a Rive Droite, margem norte do mesmo rio. Eu vivo há três anos no segundo arrondissement. O ventre de Paris ficava no primeiro arrondissement, um mercado que alimentava toda a cidade e que foi imortalizado por Balzac.

De D'Artagnan até o Corcunda de Notre Dame, de Napoleão até a ocupação nazista, do obelisco oferecido pelo Egito até os cavalos roubados da Basilica di San Marco – esses, agradeço, há tempos restituídos e substituídos por cópias.

Trinta e sete pontes, Bateaux Mouches, bibliotecas municipais, museus e bicicletas para uso público; um universo sem fim; hoje, meu lar.

20º Arrondissement

Père-Lachaise é uma obra-de-arte e um jardim, sem o lado sinistro habitual que encontramos nos cemitérios.

Alguns de seus habitantes:

Colette (1873-1954)
Escritora, autora da série Claudine, chantre des bêtes: La Chatte, Dialogues de bêtes...

Gioacchino Rossini (1792-1868)
Compositor de óperas : O Barbeiro de Sevilha, Guilherme Tell... Seu corpo foi transladado para a Itália en 1887.

Jim Morrison (1943-1971)
Cantor, compositor do grupo The Doors e poeta; uma das tumbas mais visitadas do cemitério.

Héloïse et Abélard
Amantes lendários do século XII.

Camille Pissarro (1830-1903)
Pintor impressionista: La Place; amigo de Monet, de Renoir e de Cézanne.

Miguel-Angel Asturias (1899-1974)
Escritor e diplomata, prêmio Nobel da Literatura em 1967, autor do Monsieur le Président e do Pape Vert.

Vincenzo Bellini (1801-1835)
Compositor de A Sonâmbula e de Norma. Assim como Rossini, seu corpo foi transferido para a Itália.

Frédéric Chopin (1810-1849)
Pianista virtuoso e compositor de origem polonesa, ele escreveu sobretudo para o piano: polonesas, valsas, mazurkas, prelúdios...

Théodore Géricault (1791-1824)
Pintor romântico, autor do célebre Radeau de la Méduse.

Jane Avril (1868-1943)
Dançarina do Moulin-Rouge, imortalizada por Toulouse-Lautrec.

Gustave Doré (1832-1883)
Desenhista e pintor, ilustrou mais de 120 livros, inclusive Les contes drolatiques, de Balzac.

Dominique Ingres (1780-1867)
Pintor, defensor da tradição neo-clássica em frente aos românticos, como testemunha a Grande Odalisca, no Louvre.

Molière (1622-1673) e La Fontaine (1621-1695)
Dois dos maiores nomes da literatura do século XVII.

Benjamin Constant (1767-1830)
Escritor, autor de Adolphe e homem político, hostil a Napoleão e chefe do parti libéral sous la Restauration.

Sarah Bernhardt (1844-1923)
Inesquecível intérprete de L'aiglon, de Edmond Rostand, e de La dame aux camélias, de Dumas filho.

Allan Kardec (1804-1869)
Fundador da doutrina do espiritismo e autor de livros espíritas. Sua tumba é uma das mais visitadas e das mais floridas do Père-Lachaise.

Yves Montand (1921-1991)
Autor e cantor.

Honoré de Balzac (1799-1850)
Autor de Eugénie Grandet, do Père Goriot e de vários outros romances.

Eugène Delacroix (1798-1863)
Grande pintor romântico.

Georges Bizet (1838-1875)
Compositor de L'arlésienne e de Carmen.

Marcel Proust (1871-1922)
Autor de A la recherche du temps perdu.

Guillaume Apollinaire (1880-1918)
Poeta.

Oscar Wilde (1854-1900)
Autor do romance O Retrato de Dorian Gray.

Gertrude Stein (1874-1946)
Americana, foi para Paris em 1903, reuniu em torno dela um grupo de escritores e pintores, tais como Hemingway, Picasso, Matisse...

Amedeo Modigliani (1884-1920)
Pintor italiano.

Edith Piaf (1915-1963)
Intérprete: La vie en rose, Non, je ne regrette rien, Milord...

Henri Gabriel Salvador (1917-2008)
Cantor, compositor e guitarrista de jazz. Há rumor de que a canção Dans mon île serviu de inspiração a João Gilberto no momento da criação da bossa nova.

Até o próximo texto, pessoal, ainda sobre o 20º arrondissement.

<>_<>

André Carretoni nasceu no Rio de Janeiro, em 11 de Janeiro de 1971; formou-se em informática e, em 1998, partiu para a Europa, em direção ao desconhecido. Escritor expatriado, consciente do longo caminho que tem pela frente, segue em busca de sua verdadeira humanidade. Dentre outros livros, é autor do romance Mais alto que o fundo do mar (2008). É o mais novo colaborador de Tertúlia. Seja bem-vindo, André. Escreve também em www.carretoni.com
 

  • 170_sua_casa_e_o_seu_paleto.play

11/10/2010