)Futebol(

O canto das sereias / Copa Libertadores da América de Futebol Feminino 2009, Santos Futebol Clube, Cristiane, Marta, futebol feminino

Renato Alessandro dos Santos

Por volta de cinco minutos do segundo tempo, após a goleira do time paraguaio desequilibrar-se e chutar nos pés de Fran, a atleta do Santos Futebol Clube só teve o trabalho de chutar para o gol. 4 a 0 para as Sereias da Vila, como são conhecidas. Com transmissão pela TV Bandeirantes, o time feminino do Santos goleou o Universidad Autonoma por 9 a 0 e saiu-se campeão da Copa Libertadores da América de Futebol Feminino. Fazia tempo que, por ocasião de um título conquistado, o hino do Peixe não era ouvido na TV (ouça clicando no ícone ao final deste texto). Não dá para não dizer que, hoje, a alegria do torcedor santista só é possível se as sereias da vila estiverem em campo. Como esperar alguma coisa dos marmanjos, Cléber Pereira & Cia., que não são capazes de sair de um 0 a 0, como aconteceu ontem contra o Barueri?! Como diz Boris Casoy: “é uma vergonha!”


A campanha do Santos na Libertadores feminina foi inacredincrível: seis vitórias em seis partidas. 100% de aproveitamento. 3 de outubro: Santos 3 x 1 White Star (Peru); 6 de outubro: Santos 12 x 0 EnForma Santa Cruz (Bolívia); 10 de outubro: Santos 11 x 0 Caracas (Venezuela); 13 de outubro: Santos 3 x 1 Everton (Chile); 16 de outubro: Santos 5 x 0 Formas Íntimas (Colômbia) e, finalmente, hoje, 18 de outubro, Santos 9 x 0 Universidade Autonoma (Paraguai). Em toda a competição, o time marcou 43 gols e sofreu apenas dois. Duas coisas são importantes: como pode um time feminino chamar-se Formas Íntimas?! Só pode ser piada pronta. Outra coisa é lembrar que todos os jogos foram na Vila Belmiro, algo que poderia ser demérito ao time das sereias. Mas diante da fragilidade técnica de times como o do Universidade Autonoma, dificilmente, outro clube seria capaz de derrotar o time litorâneo neste campeonato. De qualquer forma, é algo a se pensar e discutir. Na Libertadores masculina, com duelos inesquecíveis, e que quase sempre terminam com final infeliz aos times brasileiros, há mais justiça quando, lá & cá, se joga em casa e na casa do time adversário.

Ainda no segundo tempo, aos oito, Thais, 16 anos, fazia o quinto gol do time praiano. Estava fácil? Estava, porque o time feminino do Santos tem o que grandes times profissionais masculinos têm, ou seja, organização e investimento fora de campo e, dentro, um time cheio de jogadoras técnicas, esbanjando talento. Há quanto tempo a Vila Belmiro não recebia público com mais de 14 mil pessoas? Aos onze minutos, lá vem Érika para fazer o sexto gol do Santos e seu segundo na partida. Ela dominou a bola na barriga e, com a perna esquerda, a destra jogadora deixou sua marca.

É possível montar um time unissex? Por que Cristiane (que não jogou hoje) e Marta não estão com as camisas 9 e 10 do time masculino do Santos? Por quê? Brincadeirinha.

Aos 25 minutos e 37 segundos, Suzana, quase dez minutos depois de entrar no lugar de Érika, fez o sétimo gol do Santos. Ketlen substituiu Thais em campo e, com isso, o time manteve a mesma toada & sede de gols. Luxemburgo ouça: em vez de jogar sem sete titulares, rapaz, conte com as meninas e volte a ser aplaudido na Vila. É outra brincadeira, leitora ou leitor. É que o coração ainda não cicatrizou - ciente, que está, de que o time masculino do Santos Futebol Clube safra 2009 é uma “vergonha” mesmo, não é Boris?

Uma das grandes manobras recentes do futebol brasileiro foi quando o Corinthians repatriou Ronaldo e, enquanto o urso hibernava, recuperando-se, o time paulistano foi também deixando seu recente passado inglório para trás e, com R9, voltou a fazer seu torcedor sorrir, especialmente, contra o Santos, como vimos na final do Paulista. As contratações de Marta e Christiane, obedecendo às devidas proporções, foram ótimas e, nesse caso, não apenas o departamento de marketing santista ganhou, como também o futebol feminino que, com a excelente campanha do Santos, pode (ou deveria), finalmente, deixar de ser visto como incipiente e pouco valorizado.

Aos 29 minutos, a número sete, Pikena, entrou no lugar de Aline Pellegrino. Aos 32, Dani fez o oitavo gol santista, chutando com o pé esquerdo, de três dedos, no ângulo direito da goleira Glória, do time paraguaio. Dez minutos depois, aos 39, Ketlen fez 9 a 0: toque de Martha e Ketlen, após dribrar a zagueira, chutou rasteiro para o gol. Indefensável. 9 a 0 para o time da Vila. Cabe lembrar que os três primeiros gols foram marcados por Maurine e Marta, no primeiro tempo, e por Érika, aos dois minutos da etapa final.

Fim de jogo e gritos de alegria, aqui & acolá. Ver Martha chorando, após a partida, emocionada, foi de deixar os olhos santistas marejados. Por quê? “E que não fique só nisso”, disse a melhor jogadora de futebol do mundo eleita pela FIFA. “Futebol tem de ter continuidade e é para mulher também!”, completou.

A julgar pelos cartolas, tubarões & demais predadores que rondam o futebol santista, fica difícil acreditar que Marta será sempre ouvida, mas hoje, 18 de outubro, o canto não foi esquecido. É um dia histórico para o Santos Futebol Clube. A conclusão disso tudo? A Vila Belmiro é das sereias. É preciso deixar-se encantar pelo canto & habilidade dessas garotas com a bola nos pés. Pés? Sereias têm pés? As sereias da Vila têm...

Ficha Técnica

Santos 9 X 0 Universidade Autonoma
Gols: Maurine, aos 13, e Marta, aos 16 minutos do primeiro tempo; Érika, aos 2, Fran, aos 5, Thaís, aos 9, Érika, aos 11, Suzana, aos 25, Dani, aos 32, Ketlen, aos 38 minutos do segundo tempo
Cartões Amarelos: Silvia Cristina (UA)
Local: Estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro), em Santos (SP)
Público: 14.183 pagantes
Data: Domingo (18/10)
Horário: 11h30

Informações Disponíveis em: Santos Futebol Clube - Website oficial
Acesso em: 18 out. 2009

 

 

  • 118_Hino do Santos Futebol Clube SP.play

18/10/2009