<<< mais recentes

)Sarau(

meu coração farpado

Pássaro com farpas nas asas e\ buracos\ de tiro\ no meio da alma,\\ voa\\ mesmo sabendo que sangra,\ mesmo sabendo que parte, \mesmo sabendo que luta \contra a revoada,\contra a maré \e contra \o vento.\\ Voa \\ao relento de suas penas...

Leia mais...

)Sarau(

Sertanejo

Ê vida marvada, \ Leva a fome du sertão,\ Leva lá prás terra na estrada, \ Até chegá nus asfaltão. \\ Ê rio brabo, \ Deságua a tristeza bem pra lá \ Num deixa entrá mentira e descaso \ Que aquele insisti em falá. \\ Ê arvrinha boa di deitá Num morre nessa terra seca, \ Guenta firme qui vai miorá, \ Nóis inda vai levanta a cabeça. \\ Ê homi do sudeste, \ Pres tenção qui no agreste, \ Nus cabra da peste, Qui é bom com força, num é cafajeste. \\ Ê homi de Brasília! \ Cê tá esquecendo di nóis...

Leia mais...

)Sarau(

estranho seria se só o amor bastasse...

Estranho seria se desse certo\ Se não fosse difícil\ Estranho seria se fosse simples\ Se não houvesse dor\ Estranho seria se só o amor bastasse (não basta!)\ Acabou!\ Acabou, mas deixei a porta aberta\ Você levou tudo, eu sei\ É que sobrou pó de café\ E se sobrar um tempo\ Venha (me) tomar\ Assim batemos um papo\ E eu aproveito pra espancar a saudade\ até matar] Não quero estorvar, é complicado...

Leia mais...

)Sarau(

alma trêmula

SEREIA \\ Sentada na pedra do mar,\ A Sereia molha a cauda\ Banhando a pele na prata\ Da noite escura sem estrelas.\\ A água gira dançante,\ E distante, a luz da Lua borra,\ E a Sereia reconhece a trêmula alma na água,\ E sentada, silenciosa, triste, chora. \\ A Lua sabe a dor doente,\ Pois seu espelho a reflete incompleta,\ Fosca, molhada e cheia de peixes,\ Então, amigável, mingua a sorrir pra Sereia.\\ A moça dividida,\ Metade peixe, metade carne,\ Metade morte, metade vida,\ Sorri triste...

Leia mais...

)Blog(

tirando de letra - Howard e Cthucthu

Tirinha de Rodrigo Caldas para o Tertúlia.

Leia mais...

)Livros(

Estado de sítio

"Céu Subterrâneo", de Paulo Rosenbaum, é um romance ambientado durante a maior parte da narrativa em Israel. O narrador, Adam Mondale, no início do primeiro capítulo, é surpreendido pela chegada inesperada de uma dupla de policiais ao apartamento onde está hospedado, em Jerusalém. Um deles entrega-lhe um papel e diz: “Precisamos de seu passaporte, aí explica que ele será retido temporariamente.” Neste momento ainda nada sabemos sobre Mondale, nem mesmo o que este psicólogo brasileiro faz em...

Leia mais...
<<< mais recentes

Este sítio, Tertúlia, nasceu de um fanzine. De 1993 a 1997 foram apenas seis números. Fanzine é uma revista que você mesmo faz, com tesoura, cola e uma ideia na cabeça. "Xerox e revolução", disse Marcel Plasse nos anos 90. Tertúlia agora está on-line. Seja bem-vind@. Música, cinema, literatura, entrevistas, futebol (Santos Futebol Clube), um pouco de meu trabalho (work in progress) e de tudo um pouco (gastronomia, cidades etc.). Coisas para relembrar: nunca tive talento para tocar guitarra (infelizmente) e sempre gostei de botes contra a corrente.
Renato Alessandro dos Santos
realess72@gmail.com

"Olá, este é o site do fanzine Tertúlia. Nos anos 1990, fazer fanzine era mais do que ter um blog ou um site. Era esperar pelo carteiro todo dia, quando e-mails ainda não faziam parte da vida; as cartas chegavam sem parar. Mesmo quando não havia carta alguma, o carteiro passava lá em casa. 'Não vai ficar triste, menino, mas hoje não tem carta', lamentava. 'Não há problema', eu dizia.'Amanhã chega mais'. E chegava. Cartas vinham de tudo quanto é parte do Brasil e fora daqui: Espanha, Cuba, EUA. O fanzine ia cada vez mais longe... LEIA MAIS...